Residencial

Casa Chalé

A beleza da arquitetura reside na sua capacidade de ser atemporal e de unir diferentes mundos em algo que se torne único. A Casa Chalé nasceu do encontro da madeira com o aço, da pedra com o vidro, do rústico com o moderno.

O projeto de reforma foi iniciado com a própria validação do desejo dos clientes em viver em uma casa não-convencional para os moldes da cidade. Ao comprar a residência, o casal optou por um estilo chalé - uma edificação toda em madeira, das paredes às janelas. A casa apresentava uma planta simples, com espaços mais compactos e uma volumetria mais tradicional, com telhado cerâmico aparente e cara de aconchego.

Partindo da premissa de que os clientes gostam muito de receber amigos e familiares, a nova proposta para a residência priorizou a criação de ambientes capazes de comportar esses encontros e de maneira integrada. Para isso, uma ampliação foi pensada para receber a nova cozinha e sala de jantar; com esses dois ambientes abrindo-se para um pátio conectado à área de lazer. A nova garagem, também localizada nesse anexo, tem acima um terraço-jardim, criado para receber os amigos com uma bela lareira durante as noites de inverno. Outro ambiente remodelado foi o living, que agora passa a ocupar todo o ambiente principal na entrada e que também se abre para o pátio externo. Os espaços de área íntima foram preservados em sua localização original, passando apenas por remodelações para se tornarem mais adequados às necessidades da família - com destaque à suíte master, que agora possui seu próprio acesso direto à área de lazer.

Um dos aspectos mais importantes para a reforma foi preservar a identidade que a residência já possuía, mas incorporando também a personalidade despojada dos seus novos proprietários. Para isso, a escolha dos materiais foi pensada de maneira a garantir o devido destaque à madeira, mas associando a ela, por exemplo, à sofisticação da pedra e ao estilo mais industrial do aço e do vidro.

Nas fachadas, o resultado dessa união cria uma proposta que ainda faz referência ao chalé, com seu aconchego e rusticidade, mas que também aspectos super contemporâneos que não as tornam tradicionais ou caricatas. No interior, o forro lambri foi mantido para explorar o calor que a madeira transmite; e na área de lazer, uma nova piscina com pedra hijau se tornou um oásis para os moradores, que apreciam bastante o contato com a natureza e zelam pelo equilíbrio.

E, assim, a beleza do tradicional não se prende ao passado, mas se remodela com o novo e passa a refletir de fato o que a arquitetura é hoje: múltipla, mas ao mesmo tempo, única.