Comercial

Pagmin

As dinâmicas de trabalho já não são mais as mesmas, tão pouco os espaços que utilizamos no dia-a-dia para isso. Vivemos hoje em um mundo marcado pelo movimento, pela informação e pela colaboração. O projeto para o coworking Pagmin surgiu dessa nova proposta de espaços, como um local capaz de reunir mentes criativas, proporcionar o intercâmbio de ideias e fazer com que o trabalho seja divertido e fluído.

Através da junção de diversas salas em um edifício comercial, o Pagmin teve sua organização espacial pensada para garantir a integração entre seus diferentes ambientes. Logo à direita da entrada, próximo à recepção encontra-se uma sala de reuniões, que mesmo isolada acusticamente por portas de vidro especiais, ainda se mantém conectada visualmente; sua localização se deu de maneira a evitar que convidados tivessem que atravessar todo o coworking para chegar à sala, otimizando tempo e evitando barulhos desnecessários nas áreas de permanência.

À esquerda da recepção, está a grande área colaborativa do coworking. O corredor de acesso conta com armários para armazenamento de pertences dos clientes e, do outro, tem um grande mural de grafite que camufla as portas dos banheiros e salas técnicas. Do outro lado dos armários, encontra-se o espaço para não-residentes, com uma grande mesa com espaços individuais separados por pequenas divisórias. Mais ao fundo, se iniciam as estações de trabalho dos residentes, com gabinetes individuais de armazenamento. Próximo às baias, foram locados também armários para impressoras de apoio.

Tratando dos espaços de convivência, logo ao lado do ambiente para não-residentes, está uma copa de apoio (com sua porta camuflada por outro grafite), interligada com uma área para refeições com bancadas que se conecta visualmente ao coworking através de planos de vidro. Ao longo de toda a extensão do ambiente colaborativo, foram posicionados sofás e bancos para descanso e pequenas pausas com boas conversas.

Ao fundo, uma área de descompressão se torna o respiro para o coworking; com grandes janelas de vidro que trazem muita iluminação, o ambiente conta com espaço para café, balanços, bancos coloridos e até cabines para conversas.

No Pagmin, os materiais foram cruciais para garantir a atmosfera de descontração e dinamismo desejados. Em todos os ambientes, a cor foi usada como estratégia para proporcionar alegria e instigar a criatividade. No teto, a laje nervurada aparente foi pintada de cinza para dar destaque às instalações na cor laranja; e com os grafites, a combinação de tons e desenhos diferentes atribuem um nota divertida e jovial às áreas de permanência. Nas paredes, o revestimento que simula tijolinhos foi escolhido para aquecer o espaço e torná-lo mais aconchegante; e o cimento no piso e paredes garante um ar mais industrial e dialoga bem com as estruturas metálicas das estantes e a leveza dos planos vidros.

Se o trabalho deixou de ser monótono e rígido, o seu espaço também precisa se adaptar a sua nova realidade; assim, nasceu o coworking Pagmin.